09.janeiro.2017

Olá!! Estamos de volta, com gás total depois de uma pequena pausa para as festas de fim de ano e para descansar também, mini férias.

E para começar as atividades por aqui vamos falar sobre algumas dicas ou resoluções fashion para 2017. Afinal, quem não faz uma listinha de desejos, promessas ou objetivos para realizar ao longo do ano?

  • Primeira dica: faça já uma “limpa” no seu closet, com certeza encontrará lá algumas peças que não são usadas já há algum tempo. Passe para frente, faça um brechó para as amigas ou doe para alguém. Nada melhor do que um closet organizado para escolher o look do dia.
  • Aproveitem as liquidações para investir em peças clássicas, aquelas que você pode usar em todas as estações e por muito tempo. Nada de se endividar para comprar aquele vestido da moda, e depois usar apenas uma vez.
  • Use menos preto, poxa essa é difícil né?? Quem não ama uma produção all black?? Branco, cinza, azul marinho e tons de beje são também cores que nunca saem de moda. Ou ouse e aposte em cores vibrantes como laranja e amarelo.
  • Você ama camisa xadrez, mas acha que está fora de moda e acaba não usando? Esqueça o que está na moda, vista-se de acordo com seu estilo. Não é porque todo mundo está usando estampa de onça que você também tem que usar. Defina seu estilo e foque nele.

Agora acrescentem mais algumas resoluções que vocês achem importantes e vamos começar 2017 com muito estilo.

Andréia e Fabiana




21.dezembro.2016

Vocês já foram convidadas para algum evento que faz menção ao dress code que as deixa se sentindo um pouco perdidas? Não se preocupe, você não está sozinho. Os termos “semi-formal”, “traje cocktail” e “casual dressy,” coloca medo em muitas pessoas também.

Na verdade existem alguns códigos de vestimenta meio confusos, como por exemplo: “casual dressy” (vistoso casual), não são dois termos opostos? Enfim, vamos decodificar alguns desses códigos mais comuns para vocês, porque escolher uma roupa deve ser divertido, não estressante.

Black Tie: Esse não tem muito mistério, um vestido longo elegante, pode ter brilho a vontade, e um smoking preto para os homens.

Black Tie Opcional: Esse termo é novo, uma versão menos sofisticada que a anterior. Terno preto com gravata para os homens e vestido para mulheres, neste caso não necessariamente longo, pode ser um modelo mídi, aquele que deixa os tornozelos a mostra, mas ainda sim deve ser em um tecido fino, nada de algodão. Ah, está liberado também o macacão.

Cocktail: Para os homens um terno escuro com uma gravata. Para as mulheres, vestidos curtos (curtos, na altura do joelho ou um pouco acima, não mini) podem ser com tecidos brilhantes e bordados.

Executivo Formal: Sugestão para conferências e compromissos de trabalho, terno e gravata para os homens e um vestido formal (comprimento no joelho, sem decotes e não muito justo), tailleur ou um terninho.

Casual: É mais casual do que o Coktail. Para os homens blazer ou apenas camisa e para mulheres um vestido mais casual, podem ser incluídos macacões e saias. Traje frequentemente associada com uma festa informal ou jantar em um restaurante. Evite jeans, tênis e t-shirt de algodão.

Esporte: Jeans e tênis para homens e mulheres, aqui está liberado t-shirt de algodão e dependendo do local até bermudas.

Então, ficou mais fácil agora??

Andréia e Fabiana




20.dezembro.2016

Comprar roupas é algo comum a todas as pessoas. Algumas o fazem por pura necessidade de estarem vestidas e outras porque identificam um prazer neste ato. A forma como as peças do vestuário são consumidas se mantem em constante evolução, assim como a indústria fashion.

A moda possui um caráter cíclico no qual o que foi moda em décadas passadas, pode voltar em uma releitura na atualidade. Porém, nenhuma outra época reuniu tanto os fashionismos antigos como a modernidade. É possível encontrar no século XXI características do vitoriano ao gótico, dos anos 20 aos anos 80 e até mesmo de um tempo futurístico dedicado a materiais incomuns para a moda. Porém quanto tempo isso irá durar? Difícil responder essa pergunta com algum número, um espaço de tempo seria mais adequado: ‘em breve’. Com o fácil – e rápido – compartilhamento de informação, a moda tem se saturado cada vez mais rápido. Por isso, conceitos como o de fast fashion e de upcycling estão em pauta atualmente. E isso tem mudado a forma como as pessoas consomem moda.

A presença, cada vez mais forte, da internet no dia a dia das pessoas tem influenciado – e muito – a indústria fashion. Trabalhar com redes sociais já não é um diferencial, é uma obrigatoriedade – caso contrário a marca ficará para trás perante seus concorrentes. Porém não basta estar online, é necessário manter um relacionamento com seus clientes; conhecer, entender e identificar suas necessidades e desejos. Apesar de ser uma grande aliada, as redes sociais podem ser bastante prejudiciais por causa da fácil e veloz disseminação da informação em sites de serviços, vendas e blogs de moda e conteúdo. Um erro pode tomar grandes proporções em questão de minutos, algo que, nas décadas passadas, era mais difícil.

O dia-a-dia das pessoas está cada vez mais corrido, por isso a compra pela internet tem apresentado um grande crescimento. Segundo o site E-bit, em 2011 o faturamento deste setor foi de R$18,7 bilhões. E a estimativa para 2016 é fechar o ano com R$44,6 bilhões. Porém ainda há algumas ressalvas em relação ao e-commerce de vestuário. Muitas pessoas têm medo que as peças não sirvam ou não tenham um bom caimento. Por isso, as marcas online precisam – assim como toda a indústria – continuar se reinventando para solucionar os problemas que acabam surgindo.

Com isso, o grande desafio do terceiro milênio em relação à moda, é conseguir se aproveitar ao máximo das novas tecnologias, sem perder o fator humano, mantendo um bom relacionamento com o cliente, mesmo que seja a distância. A web 3.0 irá ajudar – e muito – não só as empresas, mas os clientes também. Ambos conseguirão identificar de forma mais eficaz aquilo que procuram – sejam produtos, sejam clientes e seus gostos. O importante na era moderna é encontrar algo que diferencie sua marca das demais, pois, como disse Coco Chanel, “para ser insubstituível, deve-se sempre ser diferente”.

Colaboração: www.uppermag.com

 




19.dezembro.2016

E vamos falar de pijamas!!!! Tendência que começou a mais ou menos duas estações a trás, ainda é um território pouco explorado, mesmo para os mais antenados no mundo da moda. Nem todo mundo acha que usar pijamas em público é totalmente aceitável.

Polêmicas a parte, na nossa opinião, pijamas de seda funcionam melhor como streetwear, especialmente quando combinado com saltos. Eles devem ser relativamente slim, simplesmente para não parecer que você saiu da cama direto para o trabalho sem trocar de roupa.

Mas vamos dar uma olhada em como algumas mulheres estão usando essas duas peças mundo a fora, quem sabe podemos mudar de opinião sobre eles.

 
O que vocês acham dessa trend??
Andréia e Fabiana



09.dezembro.2016

Estamos próximos de nos despedir de 2016. Não precisamos nem falar das inúmeras razões pelas quais queremos que este ano acabe logo, não e mesmo? Que venha 2017, que seja um ano melhor do que 2016, temos esperança que sim.

E por falar em esperança… A cor do ano de 2017 é “Greenery“, um tom de verde mais claro. De acordo com a Pantone, o verde simboliza a “reconexão que buscamos com a natureza”. A companhia ainda afirma que a tonalidade procura “reviver, restaurar e renovar” – tudo o que mais desejamos depois de 2016.

Kenzo, Michael Kors, Zac Posen, Cynthia Rowley, Emilio Pucci e Balenciaga já colocaram essa tonalidade em suas coleções. Podem aguardar, pois ao longo do próximo ano, verão muito verde por aí, de acessórios a roupas.

Chega logo 2017!!

Andréia e Fabiana



3 de 14012345...102030...Última »